sexta-feira, 8 de abril de 2011

Encíclica Rerum Novarum

A 15 de Maio de 1891, perante o avançar galopante do comunismo e do socialismo, Sua Santidade o Papa Leão XIII, corajoso Vigário de Cristo da Terra, publica uma Encíclica muito esclarecedora acerca da condição dos operários e da sociedade política em geral, intitulada Rerum Novarum.

O excerto seguinte mostra o quão actual se encontra o referido texto, sobretudo nesta época de crisa que atravessamos, onde delineia os deveres do Estado para com os cidadãos. Observem que a Igreja Católica sempre defendeu os trabalhadores. A única coisa com que os líderes comunistas se insurgiram, na velha Rússia, foi contra a própria Igreja...

Mas reparem na linguagem com que se defende o operariado, subentendendo que cada um se deve alegrar com o que Deus lhe concede. Muito ou pouco, é sempre uma benção de Deus.

Aqui vai:

“O que se pede aos governantes é um curso de ordem geral, que consiste em toda a economia das leis e das instituições; queremos dizer que devem fazer de modo que da mesma organização e do governo da sociedade brote espontaneamente e sem esforço a prosperidade, tanto pública como particular. Tal é, com efeito, o ofício da prudência civil e o dever próprio de todos aqueles que governam. Ora o que torna uma nação próspera, são os costumes puros, as famílias fundadas sobre bases de ordem e de moralidade, a prática e o respeito da justiça, uma imposição moderada e uma repartição equitativa dos encargos públicos, o progresso da indústria e, do comércio, uma agricultura florescente e outros elementos, se os há, do mesmo género: todas as coisas que se não podem aperfeiçoar, sem fazer subir outro tanto a vida e a felicidade dos cidadãos. Assim como, pois, por todos estes meios, o Estado pode tornar-se útil às outras classes, assim também pode melhorar muitíssimo a sorte da classe operária, e isto em todo o rigor do seu direito, e sem ter a temer a censura de ingerência; porque, em virtude mesmo do seu ofício, o Estado deve servir o interesse comum. E é evidente que, quanto mais se multiplicarem as vantagens resultantes desta acção de ordem geral, tanto menos necessidade haverá de recorrer a outros expedientes para remediar a condição dos trabalhadores.” Leão XIII in Encíclica Rerum Novarum.

Daqui, cada um retire as suas conclusões e tente aplicar os ensinamentos no momento actual!

Sem comentários: